Espera! Quero ver outra coisa!

terça-feira, 3 de junho de 2008

O Setimo selo



As frequencias mantêm-me distante ;)


Resolvi falar do Setimo Selo de Jose Rodrigues dos Santos. Acho que toda a gente ja leu ou pelo menos ja ouviu falar deste livro. Pessoalmente, nao costumo gostar de livros que estao muito em voga. É uma mania minha. Nao sei explicar. De facto, so o li porque me foi oferecido e aproveitei ;). Bem, o livro é um monumento cientifico! Amei mesmo. Esta excepcionalmente bem escrito e prende-nos desde a primeira linha! os factos cientificos que ele relata não sao de todo complicados, antes pelo contrario, estao bastante bem explicados e deixa-nos completamente elucidados.


Ao principio parece que a quantidade de informação é muita e que custa a apreender, mas as coisas vao-se encaixando nos seus contextos e conseguimos mesmo 'adivinhar' o que ele vai dizer a seguir. Tem tudo uma ordem logica.


O tema não poderia ser mais actual: as condiçoes ambientais e as consequencias que o aquecimento global ira provocar daqui a umas decadas.


Quanto às personagens, o protagonista é de 'bom tom' e consegue-se gostar dele e vibrar com ele. Existe uma outra que aparece a meio e que o seu desfecho é um tanto ou quanto perturbador.


Mais nao vou desvendar. Espero que o leiam ou se ja tiveram lido, que comentem!




3 comentários:

Andreia P. disse...

Eu li quatro romances do Rodrigues dos Santos e o seu modo de escrever e integrar os conhecimentos científicos e históricos é quase sempre o mesmo. A Filha do Capitão , o qual apreciei bastante, parece-me fugir um pouco à regra.
Contudo, acho que é n' O Sétimo Selo que o autor atinge a maturidade (a transição começa talvez com A Fórmula de Deus ). Sem dúvida,é o seu melhor romance.

Lia disse...

Eu tentei ler o Filha do Capitao por varias vezes, mas desisti. Não gostei muito. quanto a ele, nao tinha grande conhecimento dos livros dele mas fiquei a gostar!

Francisco Norega disse...

Olá outra vez, lia!

Já li o livro e gostei, apesar de não o achar nada de especial (em termos literários). Conto falar sobre ele num dos próximos posts no meu blog.

Em termos literários gostei mais d' A Ilha das Trevas, sobre Timor, num registo mais histórico.