Espera! Quero ver outra coisa!

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Aquisições e Emigração

O que mais e ouve hoje em dia é 'temos que nos fazer à vida' e o 'tem que ser'. Esta resignação sempre me criou revolta porque parece que a nossa vida esta talhada à submissão de condições que não foram escolhidas nem impostas por nós. E isto tudo porque?
Pois bem, estou dentro de um avião iludida com a esperança de que quando aterrar vão-se abrir portas para mim e uma oportunidade de mostrar o que sei, me vai ser concedida. Não fui eu que escolhi. Não fui eu quis vir. Mas tem que ser e temos que nos fazer à vida.
Como se avizinham tempos difíceis e de muita solidão já tenho a minha bagagem de livros para os primeiros tempos. Vou lê-los muito rápido mas depois logo me arranjo.
Comprei a 'Mão do Diabo' do JRS, 'As Cinquenta Sombras Livre' da E L James, 'O Segredo' de Charlotte Brontë e 'Sonhos Proibídos' da Lesley Pearse. Não os pude trazer todos porque o limite de peso e número de malas não o permitiu, mas vou tratar de fazer chegar os que faltam.
Como preciso de me entreter e de fazer coisas que gosto, decidi criar (oh meu Deus. Turbulência. Muita. Gritos. Vou vomitar) um novo blog. Chama-se 'Faz-te à vida' e nele vou descrever o meu percurso e falar de tudo um pouco, desde futilidades até a questões ligadas com a emigração. Espero-vos lá.

domingo, 21 de outubro de 2012

As Cinquenta sombras Mais Negras

E quem já leu 'As Cinquenta Sombras Mais Negras' do outro ?? Eu já!! Bom, já acabei há mais de uma semana mas não tive tempo para escrever sobre ele.

É diferente do primeiro em certos aspectos, mas a essência é a mesma. 
Como viram que aquela relação não dava certo decidiram mudar de estilo: menos pancadaria no sexo e mais 'desejo-te', 'quero possuir-te', 'oh Anastacia!' e coisas enfadonhas desse tipo. Ele ficou lamechas e ela ficou devassa!! O homem compra um Saab como quem compra um pacote de chicletes e a deusa interior da mulher sorri no alto do seu Laboutin!! 
Não é tão viciante como o primeiro e continua com uma escrita muito reles e com erros. Mas é bom para passar o tempo e desanuviar do quotidiano.
 E cá fico eu à espera do terceiro..





sábado, 15 de setembro de 2012

Quem vai ser o Christian Grey no cinema??

Babado!!!!

Consta-se que Ryan Gosling será o Christian Grey na adaptação da trilogia erótica ao cinema....

"The husband of Fifty Shades Of Grey author EL James has dropped a strong hint that Ryan Gosling will take the lead role of Christian Grey in the film adaptation of the erotic novel. 

Niall Leonard says that 'last he heard' Ryan, 31, was in the frame to play the manipulative billionaire..." 


Até que o rapazinho não é mau apessoado e constituído, mas falta-lhe aquele je ne sais quoi... 

 Por isso, se eu pudesse escolher, escolheria (tcha-tcha-tcha-tchammmm).... Stephen Moyer.. Tem mais idade do que se esperava mas, caramba, o homem é sexy!!!!!

 Com um bocadinho de base e uns pozinhos mágicos, nem se notavam os pés de galinha... Ai ai...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Revolta!!!!

Estou a fazer uma pausa na escrita da minha tese para vir aqui escrever umas revoltas. 

Dez anos antes, quando imaginava o meu futuro, via-me muito empenhada e realizada no meu emprego. Satisfeita profissional e pessoalmente. Queria ganhar dinheiro, muito dinheiro, para ser muito rica. Queria ter uma família com 2 filhos no mínimo. O dinheiro iria servir para comprar o que sempre sonhei: uma quinta enorme cheia de cavalos e, no mínimo, 10 cães. Iria situar-se numa zona calma, mas perto de uma grande cidade. Iria viver lá com os meus filhos e com o meu futuro marido. Eles poderiam brincar com os cães, andar a cavalo, enquanto que eu estaria sentada numa espreguiçadeira, com óculos de sol e um sumo de laranja natural, a ler um belo livro. Os meus filhos iriam ser óptimos alunos e o meu marido um esposo exemplar.
Este, minha gente, é o meu maior sonho desde que me lembro que sou gente.
Contudo, deparo-me com a realidade actual. Tenho 25 anos, sou licenciada há dois, estou a acabar a minha tese de mestrado, nunca trabalhei na minha área e recuso-me a trabalhar de graça ou a 3€ à hora . 
Vivo no Porto, que considero a minha cidade, a minha casa, que me acolhe há 7 anos, e não quero sair daqui.
Toda a minha família nasceu, estudou e trabalhou em Portugal.
 A minha vida presente é bastante boa. Tenho muitos amigos, sou feliz a viver sob carpe diem. Mas quando ponho numa balança a minha situação actual e a minha situação de há sete anos atrás, vejo a diferença: não tenho esperança nenhuma no meu país, o sonho de ter uma quinta desvaneceu-se, o de constituir família também, não tenho sonhos, as minha ambições não passam por Portugal; mas o mais importante de tudo é que há sete anos eu tinha família neste país. Agora, estou sozinha. Os meus entes queridos emigraram para diferentes países e deparo-me com a maior e mais terrível decisão de sempre: ir juntar-me aos meus pais? Ou ao meu irmão e sobrinho? E o meu namorado???!!!

Em Novembro já tenho o mestrado concluído. Não vou ter sitio para onde ir. Lá irei ter que emigrar, contra a minha vontade. Vou abandonar o meu Porto, os meus amigos mais queridos, o meu cão, a minha vida. O meu sonho vai ser abandonado de vez: vou lutar para ganhar dinheiro para sobreviver e não para construir o meu futuro...

Quando envio um currículo e pedem para anexar carta de motivação, só desejo ter coragem para escrever: "Não quero emigrar!".

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Pena Capital - Robert Wilson

"Alyshia D’Cruz, filha do magnata indiano Francisco «Frank» D’Cruz, cresceu entre Londres e Mumbai, num meio privilegiado. Mas uma noite, depois de uma festa com muito álcool, Alyshia entra no táxi errado... Charles Boxer, ex-militar e ex-polícia, encontrou a sua vocação na segurança privada. A sua especialidade: raptos e resgates. Mas é uma vida sem raízes, que não impressiona a filha adolescente, Amy, nem a mãe desta, a sargento-detetive Mercy Danquah. Quando D’Cruz contrata Boxer para encontrar Alyshia, este percebe que o complicado império empresarial de Frank lhe valeu muitos inimigos. Apesar da imensa fortuna de D’Cruz, os raptores não querem dinheiro - preferem um jogo cruel e letal. Mas o governo do Reino Unido não quer que o seu novo grande investidor perca a filha no centro da capital. Agentes do MI6 na Índia seguem as pistas de Boxer e, quando o rasto se cruza com uma conspiração terrorista em Londres, depressa se torna aparente que não é apenas a vida de Alyshia que está em causa. Para salvar Alyshia, Boxer tem de fintar fanáticos religiosos, mafiosos indianos e senhores do crime londrinos. Pena Capital é uma viagem arrepiante ao lado negro de pessoas e lugares que estão escondidos, à espera do momento certo para destruir uma vida."

Alguém já leu este?

sábado, 11 de agosto de 2012

Opinião - As Cinquentas Sombras de Grey

Vou fazer uma crítica um pouco diferente desta vez.. À medida que ia lendo, ia escrevendo umas anotações para comparar a minha opinião no inicio que no fim da leitura.. Acho que vou começar a adoptar este método.

Já agora, não usem chibatas contra mim! Estive a ler umas críticas a este livro noutros blogs e até fiquei arrepiada do quão mal falavam dele. É um livro para entreter e como estou a acabar a tese, bem que preciso de um passatempo, 'tá????? ;) Mas vou já ali ler a  'Metamorfose' do Kafka para me redimir..

Estou a ler há duas noites e estou na página 167. Ainda não sei o que achar sobre este livro. A escrita está longe de ser sublime, as personagens são muito irreais - ou inocentes demais ou perfeitas demais. A natureza erótica também me surpreende. Nunca tinha lido um livro assim, tão intimista. Os diálogos,porem, são muito chatos. São sempre entrecortados pelos pensamentos da Anastacia e isso enerva-me porque eu quero ler o diálogo e não me interessa estar sempre a ler os pensamentos inseguros da protagonista. 
Apesar da escrita, da pobreza das personagens, dos diálogos pobres e do cariz pornográfico do livro, devo confessar que é um bom livro para entreter. É a única explicação que encontro para o facto de passar tanto tempo seguido a ler.



Vou na página 391. Ainda não sei o que acho deste livro. É muito desconcertante por não se conseguir definir.
Continua a ser uma leitura cativante mas sem razão aparente. Acredito que se torne num género de bíblia para as leitoras mais carentes e frustradas sexualmente, muito ao estilo da saga dos livros da Stephenie Meyer.
Ps: Já encontrei três erros... ai esta tradução!!!!!!!



Chegou ao fim. É de facto um livro muito viciante e apesar da escrita não ser nada de surpreendente, é uma leitura agradável. Acho que me envolvi mais do que aquilo que estava à espera/gostaria, uma vez que nas últimas páginas sou tomada por uma angústia tal, que se me afloram as lágrimas. (o tpm também deve ajudar, digo eu).
Update dos erros: acho que eram 7.. Já nao recordo bem..

Concluindo: gostei. E não posso negar que quero que saiam os outros livros para ver como a história acaba..

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Prisioneiro do Céu - Carlos Ruiz Zafón

"Barcelona, 1957. Daniel Sempere e o amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, regressam à aventura, para enfrentar o maior desafio das suas vidas. Quando tudo lhes começava a sorrir, uma inquietante personagem visita a livraria de Sempere e ameaça revelar um terrível segredo, enterrado há duas décadas na obscura memória da cidade. Ao conhecer a verdade, Daniel vai concluir que o seu destino o arrasta inexoravelmente a confrontar-se com a maior das sombras: a que está a crescer dentro de si.

Transbordante de intriga e de emoção,
O Prisioneiro do Céu é um romance magistral, que o vai emocionar como da primeira vez, onde os fios de A Sombra do Vento e de O Jogo do Anjo convergem através do feitiço da literatura e nos conduzem ao enigma que se esconde no coração de o Cemitério dos Livros Esquecidos."

Não é novidade para ninguém que Carlos Ruiz Zafón é um dos meus escritores preferidos e eu deliro com os livros dele. Contudo, este último ficou um pouco aquém do que estava à espera, mas mesmo assim não deixa de ser muito bom. Vemos o regresso de Fermín (a minha personagem preferida) e as aventuras com Daniel. O passado é desenterrado e começamos a perceber um pouco mais das origens de Fermín, essa personagem tão enigmática.
Já quase no fim do livro, voltamos ao Cemitério dos Livros Esquecidos onde se desenrola mais um episódio surpreendente que nos faz fechar o livro e que nos deixa com a mesma curiosidade com que o abrimos. 

É caso para dizer 'Não perca o próximo episódio...'

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Nunca Digas Adeus - Lesley Pearse




Não sei se consigo fazer jus a este livro só com palavras.
Vamos conhecendo a amizade de infância de Susan e Beth, duas meninas com ideias muito distintas, mas ambas ostracizadas pela família. É essa mesma família que vai ser responsável pelo afastamento de ambas, embora elas não tenham conhecimento. Mais tarde, em condições impensáveis, voltam a encontrar-se e todo o amor, saudade, rancor e azedume trancado dentro delas por mais de 20 anos vem ao de cima. A história torna-se uma caça incessante à verdade, recheada com histórias macabras e frias, alternadas com histórias de inocência vividas na infância.
Será que 5 anos são suficientes para se conhecer verdadeiramente a natureza de alguém?

Uma história de comover e de arrepiar, com uma leitura compulsiva!!

Um dos meus preferidos, definitivamente.

A Melodia do Amor - Lesley Pearse




Muito ao estilo de 'Nunca me Esqueças' e de 'Segue o Coração'. Uma história arrebatadora de força, coragem e perseverança.
Quase se sente nas entrelinhas, o leve assobio do violino que só aquela cigana sabe tocar tão bem. A leitura é absolutamente compulsiva, tal como a autora já nos vem habituando desde o ínicio.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Últimas Leituras

Apesar de ter andado ausente no blog, não ando ausente nas minhas ricas leituras!!!

Vou destacar as que mais me marcaram:

Lesley Pearse- 'A Melodia do Amor'
Lesley Pearse- 'Nunca Digas Adeus'
Carlos Ruiz Zafón- 'O Prisioneiro do Céu' (ainda em leitura)


segunda-feira, 9 de abril de 2012

Não é bonito?


Comprei-o numa vila pequenina em França.. Entrei numa loja de recordações e deparei-me com esta maravilha... A melhor prenda que já ofereci a mim mesma... :)

quinta-feira, 8 de março de 2012

Segue o Coração - Lesley Pearse

Neste Dia da Mulher esta postagem não poderia estar mais adequada. Este livro é um hino de vitória para todas as mulheres. Nós queremos, nós podemos e nós vencemos.

Envolvente, apaixonante, viciante. É assim que descrevo este livro de Lesley Pearse.  A heroína, Matilda Jennings, é a verdadeira reencarnação da perserverança, força e coragem. É na luta diária e constante, que constitui a sua vida, que nós mergulhamos. Ela está lá desde o inicio, desde o dia em que vende flores num bairro degradado de Londres até aos dias mais luxuriosos da cosmopolita Nova Iorque. A sua coragem, ganhos e perdas, felicidade e tristeza, esperança e desalento, embrulham-nos numa teia viciante de onde não somos capazes de fugir.

Este livro traduz uma leitura compulsiva e o desejo de fazer mais e melhor, fazendo a diferença, sem nunca olhar para trás.

Aquele podia ter sido um dia como tantos outros na vida de Matilda, uma pobre vendedora de flores. Mas aquele é o dia em que Matilda salva a vida de uma criança e recebe a mais preciosa das dádivas: a oportunidade de fugir da miséria e construir uma nova vida. Em breve trocará os bairros degradados de Londres pelos recantos misteriosos de Nova Iorque, as planícies do Oeste Selvagem e a febre do ouro em São Francisco. Munida apenas da sua coragem, beleza e inteligência, a jovem está apostada em ditar o seu destino, nem que para tal tenha de lutar contra tudo e todos.
A sua rebeldia condena-a à solidão. Mas um dia também ela viverá as emoções de um verdadeiro amor. Um amor que terá de suportar a separação, a guerra e os tormentos do nascimento de uma nova nação. Será no Novo Mundo que Matilda vai aprender o que a sua infância não lhe ensinou: que todos nascem iguais, que a coragem e a generosidade são o que de mais nobre pulsa no coração humano, e que, por mais doloroso que seja, a vida tem de continuar e nunca se deve olhar para trás…

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Uma Noite em Nova Iorque - Tiago Rebelo

Uma Noite em Nova Iorque é uma complexa história de encontros e desencontros, promessas e desilusões; mas também uma história de descoberta e de esperança, que reflecte o dilema dos protagonistas divididos entre duas forças poderosas: a obrigação de perpetuar uma união que já não lhes traz alegria e a urgência de correr atrás de uma enorme paixão que mais não é do que uma carta fechada.
No inicio prometia ser uma grande leitura, com uma história empolgante e cheia de romantismo. A história não me decepcionou, mas a escrita muito. Tornou-se abusamente descritiva e com pormenores que nos levam à exaustão. 
O livro conta a história de Filipe e Patrícia, Filipe e Isabel, Catarina e Jonas. A vida de cada casal é contada em separado, com pormenores de como se conheceram até à sua situação actual e os problemas por que passam. A vida destas pessoas cruzam-se de alguma forma, e culminam numa noite em Nova Iorque. É aqui que as resoluções são tomadas e onde se fecham capítulos.

sábado, 28 de janeiro de 2012

'O Príncipe da Neblina' - Carlos Ruiz Záfon

Algures na costa sul da Inglaterra:

A família Carver acaba de se mudar para uma casa na praia que encerra consigo uma história de tragédia ocorrida alguns anos antes. Max, a irmã Alicia e o seu novo amigo Roland tentam descortinar uma serie de eventos estranhos que têm ocorrido desde que ali chegaram e que só podem estar relacionados com o que acontecera aos antigos proprietários da casa, os Fleischmann. As hipóteses são muitas, mas o destino parece conduzi-los sempre ao mesmo sitio: o jardim das estátuas presente nas traseiras da casa. Um jardim sempre envolto em neblina onde as estátuas encarnam personagens circenses.
É com a ajuda do velho guarda faroleiro, o avô de Roland, que a história vai ganhando contornos e vão sendo descobertos factos muito perturbadores sobre uma temível personagem, O Príncipe da Neblina. 

Esta história, à semelhança das outras, é excepcional. Mais uma vez CRZ consegue envolver-nos numa aura de mistério e ficção de forma suave e subtil. Os factos são narrados pouco a pouco, mas desde o inicio da leitura, desde as primeiras páginas, que se consegue pressentir a tragédia, o mau-fado. O relógio que gira ao contrário, o gato que fica imóvel a observar as pessoas durante tempos infinitos, os vídeos caseiros guardados na cave, o barco afundado a 40metros da costa, são todos indicadores de que algo está prestes a acontecer e que não deve demorar.
Se já o tiverem lido, dêem-me a vossa opinião, se não o tiverem lido aconselho que gastem 4 horinhas e que o façam pois não se vão arrepender..

domingo, 15 de janeiro de 2012

A Queda de um Anjo - CCB

Ontem, achei este livro a um preço muito convidativo e decidi comprá-lo. Não sei se alguém já leu para me poder dar uma opinião, mas pela sinopse fiquei logo atraída. Trata-se de uma sátira social do nosso Portugal do século XIX e aborda aspectos do desvirtuamento do nosso país.

Ele é Calisto, um transmontano conservador que ao mudar-se para Lisboa para se tornar deputado, altera os seus valores morais e deixa-se conquistar pelo luxo, ostentação e prazer que imperavam na nossa capital. 
Ela é Ifigénia, a prima e amante de Calisto que o faz mudar a sua ideologia politica e transformando-o num liberal.
A outra 'Ela' é a mulher de Calisto, Teodora, uma aldeã simplória e tacanha que se deixa conduzir pelo marido pelos caminhos da ostentação e da futilidade e que ao sentir-se ignorada por Calisto se entrega aos prazeres do seu primo.